assista mais videos

29 setembro 2015

Resenha | Vivian Contra o Apocalipse (ou "a melhor leitura do ano")


Antes de qualquer coisa, alguns esclarecimentos: Esse não é um livro herege, nem é um livro religioso. O apocalipse do livro NÃO é o apocalipse bíblico, Vivian não é uma garota má e se você também for uma boa pessoa, cristã ou ateia, nada nesse livro vai te incomodar.

Dito isto, declaro agora meu amor pela Agir Now, o novo selo do Grupo Ediouro Publicações, voltado ao público YA (jovem-adulto). Eles não poderiam ter escolhido um livro melhor para estrear esse selo, já que Vivian Contra o Apocalipse é o exemplo mais que perfeito do que é um bom livro YA.

Bom é insulto. A leitura é tão fluída e o texto tão bem escrito que se não reparamos no nome gringo na capa do livro, pensamos que ele foi escrito por um brasileiro (parabéns pela tradução, Flora Pinheiro!). Katie Coyle, com sua primeira obra literária, conseguiu criar um verdadeiro clássico do gênero YA, uma distopia tão próxima da realidade atual que chega a nos preocupar. 

Com uma capa linda dessas e um título com esse peso (considerando seriamente colocar Vivian como nome da minha primeira filha), o livro simplesmente não consegue passar desapercebido. Que diga o moço do ônibus que não aguentou ficar encarando a capa com o canto do olho e me pediu licença para perguntar sobre o que era a história. Edição impecável, impressão, formatação... tudo lindo!


Em um futuro não muito distante, num contexto de crise econômica, ataques terroristas, guerras e catástrofes climáticas, surge nos Estados Unidos a Igreja Americana, fundada por Beaton Frick, um pastor auto-intitulado profeta. Em O Livro de Fick, uma espécie de bíblia dos Crentes (nome dado aos fiéis da Igreja Americana) ele afirma ter recebido a visita de anjos que o incumbiram de espalhar a boa nova: o Senhor prefere os americanos e os receberá no Reino dos Céus quando chegar a hora.

Frick tem sua própria marca de roupas, alimentos, eletrodomésticos e canais de rádio e TV. Alegando perseguição religiosa, consegue em pouco tempo boicotar a imprensa nacional e espalhar aos quatro cantos sua previsão de que em 3 anos, todos os membros da igreja ascenderão ao Reino dos Céus, enquanto os descrentes permanecerão em agonia na Terra por 6 meses, até que venha o dia em que serão condenados ao fogo eterno.

Depois de um terremoto com várias mortes em Chicago, a explosão de uma bomba em um jogo do Yankes e a morte súbita de todas as abelhas do país, a população se convence de que o fim está próximo e acontece uma conversão em massa. A América se divide entre Crentes e Descrentes. Vivian de um lado, seus pais de outro.


Vivian Apple era uma garota comportada, que gostava de ser uma boa filha e tirar notas altas. Quando seus pais se converteram, pensaram que seria uma questão de tempo até que Vivian também se tornasse Crente, mas ela não conseguia acreditar. A pele bronzeada de Frick e seu sorriso perfeitamente branco, cheio de dentes, não ajudavam a tornar a ideia de um apocalipse próximo menos absurda.

Enquanto suas amigas adolescentes casavam e tinham filhos, Vivian encontrou na loucura de Harp, a vizinha que já fumava publicamente aos 12 anos de idade, mais sentido do que em toda aquela baboseira apocalíptica. Juntas, passavam boa parte do tempo rindo dos conselhos amorosos dados na revista teen da Igreja e fazendo coisas que adolescentes normais fazem. Adolescentes que não planejam ascender aos Céus em 3 anos.

Na véspera da data prevista para o arrebatamento, Harp resolve fazer uma festa em uma mansão abandonada. Bebida, música alta e um garoto de olhos azuis chamado Peter. Na manhã seguinte, Vivian volta para uma casa vazia. Depois de chamar pelos pais e não obter resposta, ela liga para o celular da mãe e ao seguir o toque, se depara com uma cenário surreal. Dois buracos no teto sobre a cama. Aparentemente, os pais de Vivian foram arrebatados alí mesmo.


O caos se instala no país. Os descrentes são perseguidos pelos crentes à espera da segunda barca. Casas são saqueadas, portas pichadas e pecadores assassinados. Vivian precisa descobrir a verdade. Se o mundo vai acabar em seis meses, ela quer descobrir tudo o que puder dentro desse tempo. Ao lado de Harp e Peter, o garoto que conheceram na festa do arrebatamento, ela cai na estrada em busca de respostas.

Tédio é uma coisa que você definitivamente não vai sentir ao ler Vivian Contra o Apocalipse! E embora a história tenha uma continuação, o final não deixa nada a desejar. NA-DA! O desfecho é genial, totalmente coerente e imprevisível! Li sem saber que existia um segundo livro e teria feito esta resenha exatamente com a mesma empolgação se só existisse o primeiro.

O lançamento da sequência, Vivian Versus America (ainda sem tradução em português), está previsto para o início de 2016. Já estou roendo as unhas de ansiedade!

Ficou com vontade de ler? Tem uma listinha super prática no site da Agir Now com todas as lojas que vendem o livro, tanto em formato físico quanto digital. É só clicar aqui

Semana que vem tem resenha de Depois dos Quinze, o primeiro romance da Bruna Vieira. Curta a página do blog e assine o feed de notícias (alí do lado) para ficar sabendo quando tem post novo. 

Beijinhos e até a próxima! 
Continue lendo...

22 setembro 2015

Quando você for amado completamente


Um pedaço de nós vai embora quando sofremos nossa primeira grande desilusão amorosa. Nossa vida passa a ser dividida em antes e depois daquilo e tudo o que fazemos a partir dali se resume a tentar recuperar o que perdemos ou nos tornarmos bons o suficiente para que o próximo objeto do nosso afeto não queira ir embora.

Entramos em uma paranoia de que só seremos aceitos quando alcançarmos a perfeição e, para isso, mudamos nossos corpos, nossos rostos e nossos princípios para que alguém, qualquer um, nos ame como precisamos ser amados.

Só que esse amor não serve.

Mesmo que você se torne tudo o que considera perfeito, se estiver com a pessoa errada, ainda não será o suficiente. Ou o contrário: talvez você se torne tudo o que o outro deseja, mas não consiga desfrutar do amor que recebe por não se sentir feliz com quem é.

E isso só vai acontecer quando você se aceitar com a mesma intensidade que deseja ser aceito. Com todos os seus defeitos e limitações.

Somos todos dignos de ser amados e se mais gente soubesse disso, talvez as desilusões amorosas não tivessem tanto poder a ponto de dividir a nossa vida em duas partes.

Todos temos defeitos. Você é suficiente porque não existe ninguém no mundo bom o bastante para dizer que não é.

Quando você for amado completamente, vai perceber que aquele pedaço que procurava, continua faltando. Não porque o amor da sua vida não te ama como nos filmes, nem porque seu coração foi quebrado tantas vezes que não funciona mais como antes (menos drama, amiguinho), mas porque esse vazio que sente só o seu amor próprio pode preencher.

Desejo que seja feliz, e que encontre o amor. Nessa ordem.

Beijinhos!
Continue lendo...

24 julho 2015

Cover | Free - Haley Reinhart


Sabe quando junta vontade de trabalhar com profissionais incríveis que acreditam em você? Foi isso que rolou com a galera do Casa Nostra!

Saindo do forno um cover quentinho de Free, música linda da Haley Reinhart, interpretada pela blogueira que lhe escreve:



O Casa Nostra fica em Governador Valadares - MG e pertence ao Chambela, um ninja sayajin high level com poderes sobrenaturais. Inscreva-se no canal do estúdio no Youtube e fique de olho que tem muita coisa boa vindo aí!

Se pá, se inscreve no meu também. ;)

Beijinhos!
Continue lendo...

07 junho 2015

A vida sob os olhos de quem lê


Uma pessoa me perguntou essa semana se por gostar de ler, eu espero muito de um cara. Comecei a construir uma resposta na minha cabeça, mas então percebi que era uma pergunta retórica e que tudo o que ela queria era uma confirmação para sua teoria de que pessoas que lêm muito têm expectativas muito altas.

Era uma conversa casual com uma pessoa aleatória que eu provavelmente nunca voltarei a ver, por isso ao invés de dizer tudo o que estava pensando, respondi que sim, que espero muito de um cara.  Então resolvi escrever este texto para dizer que não.

O que aprendi com os livros é que cada história começa de um jeito diferente, tem seus próprios obstáculos, superações e pode ou não durar para sempre.

Em Simplesmente Acontece (Love, Rosie), por exemplo, a mocinha perde a virgindade de um jeito nada romântico e ainda engravida de um cara que não é o mocinho. Isso não impede que ela encontre o amor e tenha um final feliz.

Às vezes o final nem é a parte mais importante da história. Como nos livros do John Green, onde o final feliz fica bem no meio, em um recorte de tempo que faz o passado e o futuro serem irrelevantes.

E é isso que a literatura faz: retratar um pequeno espaço de tempo como se fosse uma vida inteira.

Se formos espertos, podemos aprender muito com isso, valorizando mais as pequenas alegrias e nos esforçando para viver histórias dignas de ser contadas.

Embora seja mesmo possível fugir da realidade através dos livros, também podemos usá-los para lidar melhor com ela, conscientes de que o agora pode ser o nosso final feliz.

Portanto, se você que está lendo este texto é o estranho que me perguntou se espero muito dos caras, saiba que não, não tenho tempo para esperar nada deles, nem de ninguém. Estou ocupada vivendo o presente.

Julieta
Continue lendo...

06 junho 2015

Watchlist | Apostas para a season finale de Younger!


Eu já escrevi um post super empolgado aqui no blog falando dessa série, se estiver afim de ler, clique aqui. Mas para poupar tempo dos preguiçosos, Younger acompanha o cotidiano de uma mulher de 40 anos que finge ter 26 para garantir seu emprego em uma grande editora de livros.

Logo no primeiro episódio, Lisa conhece Josh, um tatuador bonitão que ganha o coração dela e de todo mundo que tem olhos para vê-lo. Josh tem 26 anos e o que a princípio era um tipo de experimento social para Lisa, transforma-se em um relacionamento sério no decorrer da temporada.

Além de um namorado de 26 anos, Lisa também faz novos amigos, dentre eles, Kelsey (interpretata pela linda da Hilary Duff), sua fiel companheira de trabalho e, de repente, ela se vê em um mundo totalmente novo, alicerçado em uma grande mentira.


Esse mundo falso fica cada dia mais real, e no penúltimo episódio da série, exibido dia 2 de junho, Lisa não resiste ao peso de sua mentira e conta a Josh sua verdadeira idade. Isso não é um spoiler porque quem acompanha Younger, esperava que isso acontecesse a qualquer momento.

Josh, que está sob o efeito de drogas colocadas em sua bebida por uma amiga maluca de Kelsey, fica paralisado diante da revelação, e antes que Lisa possa dizer mais alguma coisa, é puxada para longe dele e o vê desaparecer no meio da multidão.

E o que acontece depois disso?



A série foi renovada para a segunda temporada, então é obvio que existe uma saída. Portanto resolvi compartilhar com vocês algumas das minhas teorias:

Teoria nº 1 - Como estava sob efeito de drogas, Josh se esquece do que aconteceu na festa e Lisa leva sua mentira intacta para a segunda temporada;

Teoria nº 2 - Josh acha que teve uma alucinação e Lisa confirma sua teoria rindo do absurdo da situação;

Teoria nº 3 - Lisa sustenta o que disse, explica o que a levou a mentir e conta com a discrição de Josh e Kelsey para manter seu emprego;

Teoria nº 5 - Todo mundo fica com raiva de Lisa, ela perde o emprego, a credibilidade e tem que começar do zero (de novo), agora com 40 anos. Acho essa hipótese a menos provável, mas no mundo real seria a aposta mais alta! haha

Você ainda não assiste Younger? Então corre que só rolaram 11 episódios até agora!



Se já assiste e tem suas próprias teorias sobre a season finale, compartilhe comigo nos comentários, quero saber o que você pensa!

Beijinhos,
Julieta
Continue lendo...

25 maio 2015

Cinco Filmes Muito Meus

1. O Diário de Anne Frank - 1959


Tem muita gente que não sabe que o Diário de Anne Frank é um diário de verdade, escrito por uma garota de 13 anos que não esperava que algum dia alguém se interessasse pelas coisas que se passavam pela cabeça dela. Acho que esse filme de 1959 captura bem o espírito livre e indomável de Anne Frank! Ela, a família e um casal com um filho da mesma idade da garota viveram escondidos em um porão de uma fábrica durante 3 anos do holocausto. Por isso, e por Anne não deixar que a situação esmagasse seus sonhos e sua esperança de dias melhores, o livro é tão famoso! Ao contrário do que muita gente pensa, o livro não é sobre a morte, é sobre a vida. Filtrando toda a informação fornecida pelo diário, o longa nos traz uma história enxuta e linear. Destaque para a intérprete de Anne que além de fofa é a cara da Audrey Hepburn! <3

2. O Fabuloso Destino de Amélie Poulain (Le fabuleux destin d'Amélie Poulai)



Dá até medo de falar desse filme e estragar
o encanto dele! É, dentre outras coisas, a história de uma garota que vê alegria nas pequenas coisas. Ela descobre que é muito fácil deixar as pessoas felizes, e começa mexer os pauzinhos para fazer isso acontecer. Nem tudo sai como ela imaginava, mas coisas boas também surgem de lugares inesperados. E a trilha sonora? Parece que te transporta para um mundo paralelo, o mundo da Amélie. Super indico para todo mundo que está vivo!

3. Dançando no Escuro (Dancer in The Dark)



Björk, na flor de sua lindeza! Esse filme é uma verdadeira obra de arte, cada pedacinho dele! Da trilha sonora monstruosamente bem produzida (você vai entender quando assistir) ao roteiro tremendamente humano. É de chorar rios de lágrimas e repensar tudo o que vc entende como felicidade.

4. Simplesmente Acontece (Love, Rosie)



Adaptação linda do livro da Cecelia Ahern. Gosto dessa história porque ela é muito real! Como na vida, nem tudo dá certo para Rosie e Alex. Na verdadade, dá tudo errado! A história dos dois foge do tradicional romance de sessão da tarde sem deixar de ser linda. É um lembrete de que nossa vida não tem que ser perfeita para sermos felizes, basta termos quem amamos por perto.

5. Na Trilha da Fama (Raise Your Voice)



Porque a lista não seria minha se não tivesse algum filme da Hilary Duff. Sim, é clichê! Sim, é bobinho! BUT I DON'T CARE! É sobre seguirmos nossos sonhos, sermos fiéis a nós mesmos e acreditarmos que existe algo maior nos guiando. E isso é sabedoria!

Conte pra mim se algum dos filmes da lista também é muito seu!

Beijos,
Julieta
Continue lendo...

20 maio 2015

Sobre erros e arrependimentos


Acho que todo mundo, em algum momento da vida, já ouviu alguém dizer que você não deve fazer nada que possa se arrepender depois.

Pode parecer um conselho bobo, mas eu sempre levei isso muito a sério. E se eu me arrependesse, o que aconteceria comigo?

Mesmo tentando desesperadamente fazer a coisa certa, a vida acontece e inevitavelmente fazemos merda. Merdas, no plural. Comigo não foi diferente.

Quando isso aconteceu e eu me dei conta de que estava arrependida, fiquei desesperada. E agora, o que acontece com as pessoas que se arrependem? O que vai ser da minha vida depois disso?

Como cristã, eu sei que Deus perdoa o coração arrependido, e tentei me contentar com isso. Mas não era só o perdão que eu queria, eu queria apagar o passado, literalmente, e consertar tudo o que não fiz direito.

Depois de admitir à contragosto que isso não seria possível, tive que encarar as possibilidades reais: eu poderia ficar remoendo tudo e me arrastar pela vida até que Deus fizesse a caridade de me levar embora (drama queen o/), ou teria que aprender a conviver com a realidade.

Eu odiava a segunda opção, mas eu não tinha nada melhor, então a escolhi. Não vou mentir e dizer que resolvi tudo sozinha, precisei de ajuda. Além de contar com minha mãe, que passava noites em claro ouvindo meus desabafos dramáticos, fui a um psiquiatra que me receitou um remédinho para a ansiedade. Fui lá esperando que ele dissesse que era louca, paranoica ou coisa assim, mas ele disse que não havia nada de errado comigo, exceto o fato de que me cobrava demais.

Depois, descobri que duas amigas minhas estavam passando exatamente pela mesma situação e me dei conta de que não sou só eu, todo mundo coloca muito peso nos erros cometidos.


Por que tanto medo de errar se é algo que todo mundo faz? 

Nessa época (dentre muitas) em que minha mente parecia um campo de batalha, ouvi uma música da Marit Larsen que diz que toda linha ultrapassada, é só uma linha - um pouco mais ou um pouco menos, toda vez (Before You Fall) e fiquei pensando nisso. Independente de quem você é e das coisas que fez, você tem o direito de ser feliz e viver a vida que sonhou! Um erro é só um erro e mais nada.

Então eu descobri o que acontece depois que a gente se arrepende: nada. A gente só continua cometendo erros. Outros erros. E se arrependendo. O que tem de mal nisso?

Você não é os erros que comete, nem mesmo os acertos. Você é essa coisa boa que sobrevive aí dentro apesar de tudo. Os erros fazem parte da vida, permita-se cometê-los!

E se você se arrepender, cometa outros erros e se arrependa de novo.

Beijos,
Julieta
Continue lendo...

18 maio 2015

Do Meu Diário X


Hoje de madrugada, levantei para tomar água e vi, na pia da cozinha, um marimbondo se debatendo numa pequena poça d'água. Pensei: que gracinha ele tentando se livrar da água nas asinhas! Fui dormir e hoje de manhã, quando fui lavar a louça do café, encontrei-o morto no mesmo lugar. Queria tê-lo ajudado quando pude. Que descanse em paz o marimbondo.

Julieta
Continue lendo...
 

looks